12 de Junho de 2014

Preso pai acusado de torturar filho de 11 anos

Denúncia anônima comunicou maus tratos a Polícia Civil

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Goianésia, cumpriu no dia 10 de junho, mandado de prisão preventiva em desfavor de José Barros de Almeida, o “Zé Doido”, de 32 anos, acusado de torturar seu filho, uma criança de 11 anos.

Segundo a delegada Poliana Bergamo, responsável pelas investigações, diligências à residência do suspeito foram realizadas em abril deste ano, após denúncia anônima. Ao chegar ao local, policiais constataram que a criança apresentava pés e mãos inchados e caminhava com dificuldade.

Nesta ocasião, porém, ao perceber a presença da polícia, o pai do menino fugiu do local. De lá pra cá, a investigação prosseguiu. No decorrer do inquérito, ficou constatado que a vítima foi submetida a intenso sofrimento físico.

De acordo com a delegada, o menino teria passado a morar com o pai, pois estaria tendo problemas de indisciplina com mãe. Nos dias com o genitor, ele teria sido submetido a surras diárias, a ponto de despertar atenção de vizinhos.

Ciente dos fatos e dos antecedentes criminais do pai, a delegada representou pela prisão do suspeito, cumprida no dia 10. Conforme relata Poliana, José Barros possui antecedentes por lesões corporais, receptação, porte ilegal de arma de fogo, entre outras. Recentemente, o Grupo de Repressão de Narcóticos (GENARC) de Goianésia, sob o comando do delegado Marco Antônio Maia, havia prendido José em flagrante por posse de arma de fogo.

Poliana Bergamo esclarece que José Barros responderá por tortura, na modalidade castigo, que prevê pena de 2 a 8 anos de prisão, aumentada de um sexto até um terço por ser o crime contra criança. “O caso não se enquadra no crime de maus tratos em razão do intenso sofrimento físico e mental as quais a criança foi submetida”, explica ela.

Flávia Guerra – Assessoria de Imprensa da Polícia Civil

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora