20 de Julho de 2016

Jovem é morto a tiros após reagir a assalto

Ao ser abordada, vítima entregou celular, mas tentou pegar a arma do autor. Suspeito do crime foi preso pela polícia e admitiu ter cometido o latrocínio

O jovem Ricardo Vicente Gomes, de 20 anos, foi morto a tiros nesta terça-feira (19), em Rio Verde, região sudoeste de Goiás. Segundo informou o delegado Wellington Lemos, responsável pelo caso, a vítima foi baleada ao reagir a um assalto e tentar pegar a arma do suspeito, de 18 anos, preso horas após o crime. Conforme a polícia, ele confessou ter cometido o latrocínio.

O delegado explicou que a vítima levou três tiros. A vítima estava no Setor Jardim América da cidade quando foi abordada por um suspeito armado em uma moto.

“Segundo depoimento de testemunhas, o autor chegou em uma moto preta e deu voz de assalto, ordenando que a vítima passasse o celular. O jovem entregou o aparelho e, em seguida, reagiu tentando agarrar o autor para pegar a arma dele. Na ocasião, o autor efetuou quatro disparos, dos quais três atingiram a vítima. Em seguida, o autor fugiu”, afirmou.

Lemos ressaltou que, durante a confusão, a moto que o assaltante pilotava caiu ao chão e teve o retrovisor e parte do freio quebrados, enquanto o celular, que seria roubado, também caiu e ficou ao lado do corpo da vítima. As polícias Civil e Militar, durante as buscas, encontrar o veículo utilizado na ação.

“A perícia comprovou que a moto foi usada no crime e encontramos o dono dela, que alegou que havia emprestado o veículo para um conhecido. Encontramos esse rapaz na casa da avó da esposa dele. No local, foram encontradas as roupas descritas por testemunhas. Lá, o  jovem admitiu o crime. Também apreendemos a arma usada com ele”, relatou.

O suspeito vai ser encaminhado para a Casa de Prisão Provisória de Rio Verde e deve ser indiciado pelo crime de latrocínio. Se condenado, ele pode ficar preso por até 30 anos.

G1

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora