06 de Junho de 2013

IF Goiano – Rio Verde comemora 46 anos

Apresentações culturais marcaram celebração do aniversário da instituição

O Câmpus Rio Verde do IF Goiano comemora neste 5 de junho  46 anos de existência. E para festejar a data, servidores e alunos se reuniram para assistir a declamação de poemas e apresentações de dança de salão, como forró e a zouk, dança de origem caribenha.  As atividades foram promovidas pelo Núcleo de Artes e Cultura. O Dia Nacional do Meio Ambiente, que coincide com a data do aniversário do câmpus, também foi lembrado pela equipe da A3P – Agenda Ambiental na Administração Pública do Câmpus Rio Verde e pelo professor Juarez Martins, representante do IF Goiano na Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida.

Ao relembrar o histórico da Instituição, o diretor-geral em exercício, professor José Wéselli de Sá Andrade, fez questão de parabenizar a todos que ajudaram na construção de sua história e garantiu uma grande festa para comemorar o cinqüentenário da Instituição, que será comemorado daqui a 4 anos.

História
O Câmpus Rio Verde começou sua história em Rio Verde no dia 05 de junho de 1967, quando foi instituído o Ginásio Agrícola. Em 1969 transformou-se em Colégio Agrícola. Dez anos depois, mudou para Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde e assim permaneceu até o ano de 2002 quando passou a ser denominado Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet). O Instituto Federal Goiano chegou em 2008 com a expansão da rede federal de educação. Atualmente a instituição oferece cursos técnicos, de graduação, pós-graduação e também o Proeja – Ensino Médio integrado Técnico na modalidade de jovens e adultos.

Meio Ambiente
Iniciado em 1999 pelo Ministério do Meio Ambiente, o programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) foi lançado oficialmente no Câmpus Rio Verde no fim do ano passado. Várias ações já foram concretizadas, como criação de adesivos de orientação sobre uso consciente de torneiras e interruptores de energia, além do destino correto do lixo. A coordenadora da A3P no Câmpus Rio Verde, Elma Vieira, disse que novas lixeiras já foram adquiridas para serem instaladas em todo o câmpus. Essas ações  buscam a construção de uma nova cultura socioambiental, levando à economia de recursos naturais e à redução de gastos institucionais por meio do uso racional dos bens públicos.

Uso de agrotóxicos
Recentemente, o Câmpus Rio Verde foi procurado por equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Secretaria Estadual de Saúde a fim solicitar parcerias visando a proteção de meio ambiente muitas vezes agredido com a pulverização de agrotóxico. O grupo sugeriu a realização de estudos específicos, incluindo análises de água, solo e vegetação por parte de pesquisadores do IF Goiano. A decisão dos técnicos em buscar ajuda para esse fim deveu-se ao fato de alunos de uma escola rural terem sido contaminados por veneno durante uma pulverização aérea sobre uma  lavoura de milho.

Na ocasião, a aeronave despejou inseticida sobre a escola onde estavam 120 crianças. A Anvisa quer saber a extensão da gravidade do incidente, já que os médicos alertaram para a possibilidades de conseqüências futuras. O professor Juarez Martins abraçou a causa e está à frente das ações, tanto que irá participar de um Ato Público em Defesa do Meio Ambiente e da Vida que irá debater entre outros assuntos, o uso indevido de agrotóxicos nas lavouras.

Assessoria de Comunicação Social

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora