27 de Agosto de 2011

Gravidez psicológica em cães e gatos

A veterinária Mariana Paz Rodrigues dá dicas de como cuidar do seu animal de estimação

A pseudogestação, conhecida também pelo nome de pseudociese ou falsa gestação, pode ser considerada uma síndrome que ocorre em animais não gestantes. É muito comum sua ocorrência em cadelas, geralmente entre 6 a 14 semanas após a cadela entrar no estro (cio).A gravidez psicológica, ou pseudociese, ocorre em 50% a 70% das fêmeas não castradas.

Do ponto de vista fisiológico, a gravidez psicológica é um engano do organismo. É gerada por alterações hormonais, capazes por si só de influenciar o comportamento e o desenvolvimento de tecidos mamários. A confusão parece acontecer quando diminui bruscamente o hormônio progesterona, presente durante o cio e por mais dois meses. Quando a cadela está para dar a luz, cai o nível de progesterona, o que estimula a produção do hormônio prolactina. A prolactina, por sua vez, age no tecido mamário, podendo ativar a produção de leite e também causar o comportamento maternal. É comum as cadelas desenvolverem gravidez psicológica após a castração, se realizada até três meses depois do início do cio. Com a retirada dos ovários, que produzem a progesterona, há a interrupção da produção desse hormônio e a liberação da prolactina pela hipófise, localizada no cérebro. Além do período pós-ovulação, existem outras situações onde o animal pode desenvolver a pseudociese:

•    Durante e após o término de um tratamento com progestágenos (hormônios similares à progesterona);
•    Após um tratamento com prostaglandina (estrógeno e progesterona);
•    Cerca de 3 a 4 dias após a castração total da fêmea durante o período de diestro;

Em todos esses casos, há uma exposição à progesterona e, um posterior decréscimo no nível desse hormônio.

Os sinais observados nesta alteração são: aumento das glândulas mamárias com ou sem produção de leite; adoção de objetos inanimados ou de filhotes de outras fêmeas; preparação do “ninho” para o local do parto; lambedura do abdômen; agressividade, ganho de peso e/ou anorexia. Existem outros sinais que são pouco comuns, como: êmese (vômito), diarréia, distensão e contração da parede abdominal, poliúria (aumento do volume urinário), polidipsia (sensação de sede), polifagia (fome excessiva e ingestão exagerada de alimentos sólidos). Esses sinais aparecem logo após o término do cio, justamente devido às alterações hormonais que sofrem durante esse período.

Algumas pessoas, para impedir que a cadela ou a gata adote objetos, têm atitudes como tirá-la do cantinho que escolheu e esconder seus brinquedos. Tais procedimentos podem aumentar a ansiedade da cadela e estimular comportamentos compulsivos. Deixá-la a vontade é a maneira mais respeitosa de lidar com a situação.

O aumento das mamas é normal durante a gravidez psicológica e o leite produzido acaba sendo reabsorvido pelo corpo da fêmea. Mas às vezes ocorre a mastite – inflamação nas glândulas mamárias.pois o líquido presente torna-se um excelente meio de cultura para as bactérias, somado ao fato de que esse volume acumulado passa a ser um incômodo. Na mastite, as glândulas mamárias ficam duras, inchadas e muito doloridas. A gata não consegue se posicionar deitada e pode ocorrer febre, perda de apetite e apatia em infecções graves. Por isso, se surgirem carocinhos, dores ou pele avermelhada, não deixe de consultar um veterinário.

A "gestação psicológica" dura aproximadamente 3 semanas, mas pode ser prolongada nos casos em que ocorra a auto-sucção, ou seja, a fêmea mamar em si mesma. Nestes casos, pode ser recomendado impedi-la com um colar elisabetano (posto em volta do pescoço torna impossível o contato da boca com o próprio corpo).

O diagnóstico  é feito baseado na história, sinais clínicos e comportamentais apresentados pela fêmea algum tempo após o período de estro. Deve-se atentar que esta condição pode coexistir com situações fisiológicas e outras doenças concomitantes.

Muitas vezes, o tratamento para reverter os sintomas pode exigir o uso de hormônios. Porém, o risco dos efeitos colaterais provocados por esses remédios nos levam a procurar medicamentos mais seguros, não hormonais, que já existem no mercado. Antibióticos também são usados.

Quando o comportamento materno é exagerado, deve-se desviar a atenção do animal estimulando-o a realizar atividades físicas. Já em casos de agressividade, pode ser feito o uso de tranquilizantes nos animais.

Destacam-se como complicações decorrentes dessa síndrome a distensão mamária e retenção láctea, a ocorrência de dermatite mamária, mastites e tumor de mama, devido ao estímulo das glândulas mamárias em fêmeas que apresentam a alteração em vários ciclos estrais, por isso é recomendado o tratamento cirúrgico desta alteração, através da castração.

Portanto, fique de olho na sua cadelinha ou gatinha e se ela apresentar algum destes sintomas, leve-a ao veterinário para que juntos vocês encontrem a melhor solução em busca do bem-estar dela!

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora