07 de Dezembro de 2011

Consultório virtual: sobre o bullying

A psicóloga Kátia Beal responde perguntas dos leitores do Rio Verde Agora

Doutora, recentemente li sua resposta a uma leitora sobre o bullying e gostaria de saber o que leva uma pessoa a se tornar um agressor e como identificá-lo?
Sandra, 20 anos.



O que leva uma pessoa a se tornar um agressor e praticar bullying?
A educação marcada pela ausência de limites, a carência afetiva, transtorno de conduta, problemas na formação do caráter. Tem também relação com a maneira de criar os filhos, com autoridade e poder exercido pelos pais, onde os filhos tomam como exemplo as atitudes dos pais. Entre essas atitudes poderíamos citar as práticas educativas que incluem maus tratos físicos, agressões verbais, humilhações, agressões psicológicas e explosões emocionais violentas.

E como identificar os agressores (os bullies)?
Os agressores normalmente são pessoas que apresentam condutas antissociais de padrão repetitivo e persistentes, como por exemplo: mentem constantemente; praticam violência e crueldade com animais, irmãos e coleguinhas; comportam-se de maneira desafiadora e opositora diante de figuras de autoridade (pais e professores); são irresponsáveis com seus pertences e matérias escolares; tem acessos de raiva, de fúria quando contrariados, tem baixa tolerância à frustração; revidam; são insensíveis com as pessoas, não tem sentimentos de culpa ou de remorso; não se sentem constrangidos quando pegos em flagrante; fogem de casa ou da escola, matam aula; violam as regras, mesmo sabendo que poderão ser punidos; participam de fraudes e de falsificação de documentos; executam pequenos roubos ou furtos; podem estar envolvidos com álcool e/ou drogas; mostram-se sexualmente precoces, com sexualidade exacerbada, podendo chegar a extremos como violentar crianças ou adolescentes mais frágeis; podem praticar atos de vandalismo, como destruição do patrimônio público (pichações, por exemplo); costumam dizer que são inocentes, que a culpa é sempre do outro; há ainda histórico de homicídios (como no caso do índio Galdino que foi queimado vivo enquanto dormia, por cinco jovens de classe média em Brasília em 20/04/1997) .
Grande abraço a todos...

Excelente semana!!!

katiabeal@gmail.com

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora