15 de Dezembro de 2011

Rio Verde é município mais rico em produção agropecuária do Brasil

PIB do agronegócio referente a 2009 foi divulgado nesta quarta-feira (14). Segundo IBGE, cidade saltou da 12ª posição, em 2008, para topo do ranking

Conhecida como a capital do agronegócio em Goiás, Rio Verde se firma como o município mais rico em produção agropecuária do Brasil. Segundo dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados nesta quarta-feira (14) pela Secretaria Estadual de Gestão e Planejamento (Segplan), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município do sudoeste do estado saltou da 12º posição no ranking nacional, em 2008, para a primeira colocação em 2009.

O ponto forte do município campeão em valor adicionado da agropecuária é a produção de carnes. Segundo o economista da Segplan Marcos Arriel, Rio Verde é o que mais produz aves e suínos no estado, além de ter o terceiro maior rebanho bovino. Boa parte dessa matéria prima abastece um dos maiores complexos de produção de alimentos da América Latina, instalado na cidade.

Mas os destaques não param por aí. No setor agropecuário, é o maior produtor de soja e sorgo em Goiás, segundo lugar no cultivo de milho e terceiro em produção de feijão, de acordo com dados Superintendência de Estatísticas, Pesquisa e Informações Sócioeconômicas (Sepin) da Segplan.

Para a superintendente a superintendente da Sepin, Lillian Prado, o salto dado por Rio Verde se deve, principalmente, à iniciativa privada. "O aumento na indústria de transformação e beneficianto gerou esse impacto positivo", diz Lillian. Ela também destaca a participação do governo por meio de programa de atração de investimentos, como o Poduzir, e os recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) e Agência de Fomento.

Em Goiás, depois de Rio Verde aparece Cristalina, com o segundo maior valor adicionado da agropecuária, seguida por Jataí, terceira no ranking estadual.

Potência
Segunda colocada no ranking estadual, Cristalina, situada no Entorno do Distrito Federal, aparece com o 11º maior PIB do Brasil. Mas a terra dos cristais é apontada pelo coordenador técnico da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Welington Vieira, como uma das maiores potências de Goiás para os próximos anos.

"Cristalina vai surpreender nas próximas pesquisas porque está se industrializando. Três indústrias alimentícias de grande porte foram instaladas lá recentemente. Além disso, o município produz uma série de produtos agrícolas que não são produzidos em outras regiões do estado", explica Welington.

Até 2009, ano referente à pesquisa divulgada nesta quarta-feira, o forte do município eram as culturas diversificadas (como trigo, batata, café, ervilha, milho e tomate), plantadas em terras boas, altas e bem servidas por recursos hídricos. A cidade possui mais de 500 pivôs centrais de irragação, o que a torna a com maior volume de irrigação do país. "Alguns produtores de trigo chegam a colher duas safras e meia no ano", diz o coordenador da Fieg.

Produção de leite
Importante Bacia Leiteira e terceira colocada na lista das cidades mais ricas do agronegócio, Jataí, a 321 km de Goiânia, subiu da 18ª para a 14ª posição entre os municípios brasileiros. Assim como a vizinha Rio Verde, é importante produtora de soja e milho e abriga grandes indústrias de laticínios e alimentos.Para Welington Vieira, o segredo do sucesso dessas economias está na Agroindústria. "Quando associamos produção agropecuária com industrialização, temos esse resultado", argumentou. Assista ao vídeo produzido pela TV Anhanguera clicando no ícone "Vídeos" logo acima.

Por Gabriela Lima - Portal G1

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora