14 de Maio de 2012

Audiência discutiu trânsito em Rio Verde

Evento deu orientações aos motoristas sobre os 13 novos radares instalados na cidade

Na tarde da última sexta-feira, 11 de maio, a Prefeitura de Rio Verde realizou uma audiência pública para orientar os condutores quanto aos fotossensores recém instalados na cidade. Esses equipamentos foram colocados com o objetivo de reduzir o índice de acidentes no município.

Entre as principais discussões, foram repassadas informações sobre os 13 radares e as lombadas eletrônicas, instalados em diversos pontos da cidade e que visam garantir mais segurança no trânsito. Em seu discurso, o secretário de Saúde Eduardo Ribeiro, ressaltou que os motoristas rio-verdenses, nem sempre, obedecem as leis de trânsito e dão passagem, por exemplo, para que as ambulâncias do Samu cheguem aos locais para prestar um socorro mais rápido. “As pessoas não tem consciência de que os condutores das ambulâncias necessitam de passagem e precisam ser ágeis na prestação de seu serviço. O trabalho do Samu depende exclusivamente de o motorista da ambulância chegar rápido ao local”, explicou o secretário.
 
Já o inspetor da PRF, Fábio Losa comentou que a maioria das infrações de trânsito ocorridas no perímetro urbano das rodovias que cortam Rio Verde, se deve pela imprudência, negligência, imperícia e falta de atenção dos motoristas. “Acredito que o melhor caminho para conscientizar o motorista rio-verdense seria através de reeducação de trânsito. A realidade aqui é a seguinte: o indivíduo primeiro adquire a motocicleta para depois se preocupar com obter a carteira de habilitação. Na verdade, deveria ser o contrário”, destacou.
 
Para o major Donadon, do Corpo de Bombeiros, se os motoristas respeitassem mais as leis, o trânsito em Rio Verde seria mais tranquilo e bem menos tumultuado. “Quanto às multas, infelizmente só quando a coisa pesa no bolso é que as pessoas se tornam mais conscientes. O nosso efetivo do Corpo de Bombeiros, hoje, trabalha muito mais na prevenção de acidentes de trânsito do que em resgate ou combate a incêndio. As parcerias com o Samu, a SMT e a PM tem sido fundamentais para facilitar e ajudar no trabalho da corporação”, enfatizou.
 
O comandante da PM, Vilmar Rubens apresentou números preocupantes. Segundo ele, em 2011, foram registradas 3.356 ocorrências de trânsito na cidade, com 1.500 feridos e 12 mortos. Em 2012, até 30 de abril, o número de ocorrências é de 1.096, sendo a maioria delas com envolvimento de motocicletas. “Estas ocorrências foram registradas por falta de CNH do condutor, alta velocidade e imprudência do motorista. Inclusive, algumas delas com menores de idade na direção. Além disso, em 2011, 757 motos e 250 veículos foram apreendidos. São números preocupantes e que merecem reflexão. Ou seja, é fácil responsabilizar o Poder Público, mas o próprio condutor não tem feito sua parte”, disse.
 
O gestor da SMT, Jorge Pedroso, contou que a prioridade da Superintendência é a redução do número de acidentes. “Esses redutores de velocidade foram reativados com esse intuito. Para nossa surpresa, nós estamos, também, atendendo a uma reivindicação da própria população, que encaminhou vários pedidos, através de abaixo-assinados, para que esses radares fossem ligados novamente. Além disso, o nosso trabalho é pautado com estudos para sabermos os locais estratégicos de instalação dos radares e lombadas”, explicou.
 
Por fim, o vice-prefeito Demilson Lima explicou o porquê da realização dessa audiência pública. “Através desse evento, a Prefeitura demonstra sua preocupação em instaurar melhorias para o trânsito rio-verdense. Queremos, assim, ouvir os anseios da população. Ressalto também que o trabalho da SMT é fundamental em angariar medidas para que trânsito se torne mais seguro. Gostaríamos que os nossos equipamentos não registrassem multas. Isso é um prejuízo e não lucro para a administração municipal”, finalizou o secretário de Ação Urbana.
 
A mototaxista Joana Alves comentou que para ela, como depende e trabalha com o trânsito, é fundamental que audiências públicas como essa são importantes por vários motivos. “O trânsito de Rio Verde é bem tumultuado. Tem dias que saio de casa com medo de sofrer algum acidente. Por isso, achei essencial estar presente para sugerir mudanças e discutir melhorias que podem facilitar o nosso trabalho”.
 
O autônomo Ricardo Peres disse o que achou da audiência pública. “Acho que muitas vezes é fácil reclamar do trabalho da SMT, mas a maioria das pessoas não faz sua parte. A população tinha que estar aqui para também ouvir o que os dirigentes tem a falar. É fácil criticar, mas não é bem por aí que funcionam as coisas”, disse.
 
Depois das apresentações, a comunidade foi ouvida. As ideias sugeridas passarão por avaliações, da equipe técnica da SMT, de o que pode ou não ser acatado. Entre as sugestões, está, por exemplo, a instalação de um redutor de velocidade na avenida João Belo. Segundo moradores daquela região, condutores, de motos e carros, passam por ali em alta velocidade. O público presente recebeu também um formulário para que mais sugestões fossem dadas em prol de melhorias do trânsito em Rio Verde.

Ascom - Prefeitura de Rio Verde

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora